sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Resoluções de Ano Novo

Há dois anos atrás, era este blog recém-nascido, partilhava eu aqui estas resoluções. 2012 tinha sido um bom ano, foi o ano em que me casei e em que fizemos a nossa viagem de sonho, e queria que 2013 fosse um ano marcado essencialmente pelo sucesso profissional (já agora, com tese de mestrado concluída - o que não aconteceu ainda, porque suspendi, mas há-de acontecer - e com um salário cada vez maior), queria que 2013 fosse um ano mais saudável e dedicado ao desporto, à família, aos amigos e ao romance. Queria chegar a 2014 com 55 kgs (acabei grávida, por isso, muito longe da meta), com tempo dedicado aos hobbies antigos (só aconteceu no que toca ao blog, pois retomei apenas a escrita), às leituras (mas não consegui ler tanto quanto gostaria), aos jantares de amigos (este ponto acho que consegui por em prática)... Mas 2013 acabou por ser um ano de mudanças, em que comecei um novo emprego que exigiu muito de mim e me afastou de quem mais gostava, 2013 foi o ano em que engravidei, em que senti que finalmente deixei de ser menina e me tornei Mulher, 2013 foi o ano em que me atirei de cabeça na minha profissão e sei que, se algum dia tiver sucesso naquilo que faço, foi principalmente graças a 2013. 2014 foi o ano em que a tal Mulher continuou a dedicar-se ao trabalho, mesmo que sozinha e longe da família, e comecei finalmente a ver alguns frutos do trabalho. Consegui mudar novamente para perto de quem mais gosto e a fazer o que gosto, finalmente passou a ser possível conciliar os dois elementos na mesma equação. Construí a família que tanto queria - e todos juntos, o mais importante. Em 2014 tive uma filha e voltei para casa. Por isso, 2014 vai ser um número que hei-de repetir para sempre e com um sorriso na cara: sim, 2014 foi "o" ano. O dia do casamento é o dia mais feliz dum casal, não há dúvida. Mas o dia do nascimento dum filho é o dia mais emocionante, porque além de se celebrar o amor, é o dia em que conhecemos alguém muito muito esperado que vai ser parte da família para todo o sempre. É o dia em que choramos, e rimos, e em que todo o nosso corpo se transforma e nunca mais somos os mesmos. Há dias, a ver o Seinfeld, este dizia "Once a man has children, for the rest of his life his attitude is: "The hell with the world, I can make my own people!" e não consegui parar de rir com o tão verdadeira que essa frase é. No fundo, acho que é isso que todos os pais sentem: consigo criar as minhas próprias pessoas, consigo criar gente. E deve ser isso que nos dá uma ligeira arrogância, ali misturada com todo aquele novo amor, mesmo que não queiramos admitir, já pensaram nisso?

Assim, desde que criei este blog muita coisa mudou. Não sei se se aperceberam disso, mas comecei a escrever cheia de sonhos, cheia de desejos, cheia de dúvidas: queria tudo, queria o mundo e mais ainda. Queria ser magra, e atlética, e culta, e viajada, queria romance, queria estar com a família, queria estar com os amigos, queria ser saudável e ao mesmo tempo investir na carreira. Queria tudo. Para 2015 quero menos. Muito menos. Talvez porque me sinto mais completa que nunca. Não me vou martirizar se não comer uma salada todos os dias. A verdade é que estou mais magra desde que deixei de me preocupar tanto com a balança, não é irónico? Estou mais magra que estava em 2012, quando comecei a escrever aqui, obcecada com o peso. Não me vou martirizar se não fizer desporto 3 vezes por semana. Hei-de ir ao ginásio sempre que conseguir e pronto. Não me vou martirizar também se não conseguir viajar tanto quanto queria. O dinheiro não estica, há que aceitar isso. Não me vou martirizar se não ler um livro por mês. Para 2015 quero menos. Quero amor, essencialmente. Mas amor expressado, partilhado, vivido. Quero ter tempo para gostar de quem gosto. Gostar com qualidade e sem estar sempre a olhar para o relógio. Gostar sem pressas e sem me estar a martirizar com coisas menos importantes. Em 2015 quero perder menos tempo com o supérfluo e ligar mais ao que interessa. Quero conseguir desligar a televisão e não perder tempo com tanto lixo televisivo a que ficamos presos e que nos impede de conversar. Em 2015 quero conhecer melhor as pessoas que me rodeiam. Quero ouvir mais e estar mais presente. Em 2015 quero conseguir pousar o telemóvel e não olhar para ele às refeições. Nem quando estou com outras pessoas. Os telemóveis foram criados para nos aproximar, mas no geral só nos afastam. Em 2015 quero conseguir saborear melhor as refeições. Em 2015 quero organizar melhor o tempo. Deitar-me mais cedo. Sentir mais a cidade. Em 2015 quero menos roupa, menos sapatos, menos casacos. Em 2015 quero mais amor. Saúde. E um emprego em que me continue a sentir realizada. O resto há-de resolver-se também.

Feliz 2015 a todos os que estão desse lado também. Com tudo o que vos enche o coração.

6 comentários:

  1. Feliz 2015 Pippa! Espero que consigas alcançar tudo o que desejas :D

    ResponderEliminar
  2. Um feliz 2015 para ti, cheio de sonhos concretizados e muitos sorrisos!

    ResponderEliminar
  3. Parece me muito bem! feliz 2015!!! :)

    coisasquetaiseafins.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. E que venha daí esse 2015.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Bom ano :)

    cacaucaramelo.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. Amei conhecer o seu blog, já fiquei por aqui!!!Achei maravilhoso!!!
    Visite-me:http://algodaotaodoce.blogspot.com.br/
    Siga-me e pegue o meu selinho!!!

    Obrigada.

    Beijos Marie.

    ResponderEliminar