quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Cinema em bom

Fui ver o Whiplash. Depois de outros filmes mais "conceptuais" (como o "Boyhood" e o "Birdman") e com reviravoltas completamente loucas na história (nada me preparou para a viagem no meio dos livros no "Interstellar"... nada!!) ou finais inesperados ("Birdman", mais uma vez), foi a vez de ver um filme em estado mais cru. O "Whiplash" conta a história dum jovem baterista, o Andrew, que está no Conservatório de música (o melhor Conservatório do país, na opinião dele) e quer ser grande. Ou Grande mesmo, com letra maiúscula. Quando surge a oportunidade de entrar para uma banda de jazz e ser orientado por um grande músico, o Fletcher, não desiste de encontrar o seu lugar na banda (é mais que um baterista a lutar pelo lugar) mesmo que isso implique ser praticamente humilhado pelo tal músico.

A história, dita assim, parece básica e pouco apelativa, não parece? E se eu disser que, de todos os filmes que vi desde janeiro de 2014 foi, a par com o Gone Girl - Em parte incerta, aquele que mais me prendeu? E se eu disser que foi o final que mais ansiei e que mais me deixou presa à cadeira, completamente tensa? A cena final do "Whiplash" é tão, mas tão boa que, no dia a seguir, tivemos que rever o filme. Sim, vimos o filme duas vezes em dois dias. Foi quanto adorei (adorámos, que ele estava como eu). O filme põe-nos a lamentar não termos começado a tocar bateria aos 6 anos. O filme põe-nos a vibrar com música jazz. E eu nunca tinha dado por mim a gostar do estilo! O filme é "só" o melhor filme que vi nos últimos tempos. E saber que são os próprios atores que tocam, sem recurso a duplos, torna-o ainda melhor. Tal como saber que os estalos do Fletcher ao jovem Andrew foram reais e não encenados. Tal como saber que o filme foi filmado apenas em 19 dias. É um filme em cru, como disse no início. Mas talvez por isso me tenha sabido tão bem, depois da loucura de outros filmes mais "trabalhados", digamos assim. Aconselho. Aconselho muito.

5 comentários:

  1. O Whiplash é um filmaço! Era, para mim, o filme mais aguardado do ano e foi, sem dúvida, e até agora, o que mais gostei. E aquela cena final... aquela cena... vale tudo.

    Não sei se já viste o Still Alice mas também é um filme muito, muito bom. É um daqueles filmes que incomoda e mexe muito com as nossas emoções. A não perder, portanto ;p

    http://allengirl.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  2. O Whiplash é sem dúvida dos melhores filmes do ano. Está no meu top 3, logo a seguir ao Grand Budapest Hotel e ao Gone Girl :)
    Espero que o J. K. Simmons ganhe o Óscar de melhor ator secundário!

    ResponderEliminar
  3. Partilho da tua opinião. O filme é brilhante! E eu que torci o nariz quando o meu marido o escolheu para a nossa sessão de cinema caseira!

    ResponderEliminar
  4. Agora deixaste-me completamente curiosa...é que o Gone Girl foi para mim o melhor filme dos últimos anos (em termos de argumento surepreendente)...será que tenho de ver o Whiplasht?

    ResponderEliminar
  5. O Gone Girl achei assim-assim porque li o livro, o qual é muito bom. Quanto ao Whiplash, gostei buereré!

    ResponderEliminar