quarta-feira, 1 de junho de 2016

Sou adulta

Pago a conta da água. Controlo também o prazo da conta do gás, para não deixar passar. Pago a conta da internet e da televisão. Sou adulta. Tenho telemóvel. Que paguei também. E cujos dados que utilizo continuo a pagar. Pago a minha casa. (Minha? Em parte.) Pago o meu carro. (Meu? Quase, ainda estou a pagar.) Pago as compras que faço para casa. Pago a minha roupa. Pago as consultas do médico. E pago os seguros também. Pago todos os impostos. Sou adulta. E agora até pago as coisas do meus filhos também.

Para mim, a transição entre o ser criança e o adulta deu-se quando apareceu a primeira conta para pagar. Não tenho dúvidas. Não foi quando o primeiro salário apareceu, como muitos dizem. Não. Porque esse salário devo-o ter gasto em roupa e outras futilidades. Nem foi quando o segundo salário veio. Continuava a ser criança, sem grandes responsabilidades. Apenas com mais dinheiro. Para mim, o ser adulta veio com a primeira conta. Com o início das responsabilidades. Tornei-me adulta. E não adorei, devo confessar. Mas aprendi. Aprendi a fazer contas à vida. Aprendi a importância do poupar. Aprendi a importância de ser ambiciosa. De querer ganhar mais. Querer chegar mais longe na vida. Porque há contas para pagar! Aprendi a querer estabilidade, segurança. Casa, carro, férias e contas pagas. Ser adulto obriga-nos a fazer muitas contas e a trabalhar muito. E nem sempre nos deixa com tempo para sermos só e apenas aquilo que todos somos, bem lá no fundo - eternas crianças. Crianças vestidas de adultas.

Sim, quando tiramos as contas e os nossos empregos fica mais fácil ver o que está ali em baixo - crianças. Crianças que cresceram e vestiram a roupa dos seus pais. Crianças que cresceram e foram trabalhar. Crianças que cresceram e ganharam responsabilidade. Crianças que cresceram, mas que, se se esforçarem, percebem que nunca perderam a capacidade de se admirar e de se espantar com o mundo. Este dia é para todos nós. Para não nos esquecermos de ser crianças. Não todos os dias. Porque há contas para pagar. Mas de vez em quando. Saint-Exupéry dizia que todas as pessoas grandes já foram crianças. Eu acredito que continuam a ser, debaixo destas roupas e contas das pessoas grandes. Feliz dia!

1 comentário:

  1. Eu espero um dia encarar a fase adulta também!
    Visite meu novo blog: www.nossachapelaria.blogspot.com

    ResponderEliminar