segunda-feira, 7 de setembro de 2015

À procura de casa

Andamos à procura de casa. A casa que temos tornou-se pequena para os três (mais a ama, que lá passa os dias) e para a família e amigos que, por vezes, nos visitam. É pouco espaço para tanta gente e tantas coisas. A casa tinha um tamanho perfeito para um casal em início de vida, mas com o aumento da família tornou-se claustrofóbica. Os armários tornaram-se jogos de Tetris, em que as peças dificilmente encaixam todas. As roupas da estação anterior já têm que ir recambiadas para os arrumos. É tanta gente e tanta coisa para tão pouco espaço que não sei como é que ainda não houve atropelamentos.

Procurámos meses e meses, mas o mercado do arrendamento está louco: as casas são todas caríssimas e boas ou péssimas e com rendas acessíveis, há poucas casas disponíveis com boa relação preço/qualidade. E o que há, desaparece em dois dias, há que assinar logo contrato. A procura estava complicada e deprimente, mas, há cerca de duas semanas, pareceu-me que finalmente tinha encontrado "a" tal. Era enooooorme, em perfeito estado de conservação e sem precisar de obras, numa zona residencial que gosto muito, com bons acessos, ótima exposição solar e um preço que não me pareceu nada proibitivo. Fomos ver a casa e fiquei tão entusiasmada que não resisti e atirei logo numa proposta no final da visita, não sem antes trocar um rápido olhar de confirmação com ele. A proposta foi aceite. Voltámos a reunir-nos com os proprietários para acertar alguns pormenores, Estava encontrado o nosso novo lar. Achava eu.

Duas semanas passadas, ainda não conseguimos assinar contrato nenhum, porque supostamente os donos foram de férias e ainda não conseguiram reunir-se outra vez connosco. Neste entretanto, eu ando a desesperar e a sonhar acordada com novos móveis e decoração. Mas ele, que se revelou um vendido, já viu outra casa que gosta muito. E anda a assediar-me com essa descoberta. Só que eu não esqueço aquele amor e já consigo imaginar-me a ser(mos) muito felizes ali. De maneira que ando com o coração nas mãos à espera do desfecho desta história. Sinto que "a" tal está ali e só espero que não fuja. Vou dando novidades (espero que seja para breve!)...

3 comentários:

  1. Catarina18:25

    Aiii que medo, conheço um casal que nessa fase ficou a arder porque o proprietário vendeu o prédio a chineses e o contrato verbal de nada valeu... Espero que não seja o caso! Fingers crossed!

    ResponderEliminar
  2. Estas na minha lista de blog preferidos :) beijinhos
    Podes ver a lista em:
    www.senikisses.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Boa sorte na procura! :)

    ResponderEliminar