domingo, 8 de setembro de 2013

Língua traiçoeira

Um casal de dois homens chega à esplanada em que estamos sentados.
Trazem consigo um pequeno cão branco amoroso, com ares de floco de neve, e com um lencinho ao pescoço. Não consegui resisti a ir fazer uma festinha, sem sequer olhar para os donos. A dada altura, olho para cima e pergunto, sem pensar dois segundos:
- É um Bichon, não é?
Enquanto ele acenava, senti-me a corar com a triste coincidência. Acrescentei o mais alto que consegui:
- Maltês, Bichon maltês.
Acho que me senti mais irritada que eles pela infeliz semelhança.

3 comentários:

  1. AHAHAHA de certo que nem notaram :P

    ResponderEliminar
  2. já me têm acontecido essas coincidências.

    ResponderEliminar