sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Parabéns a mim...

... que estou há um mês consecutivo a escrever aqui e o bichinho cada vez aumenta mais.

O motivo por que criei este blog é demasiado esotérico para o dever admitir. Devia ter vergonha na cara e dizer-vos apenas: "criei, porque gosto de escrever, é isso que me faz feliz". E a verdade é que isso se verifica, mas não foi a razão directa. Sempre gostei de escrever e ler. Muito, demasiado até. E digo demasiado, porque cheguei a atravessar uma triste fase anti-social, em que me agarrava aos livros e evitava até conversas ou programas enquanto não chegasse à última página. Isto acontecia principalmente nos eventos familiares. Na escola, lia os livros que constavam nos programas de anos à frente, porque já tinha lido todos os que havia para ler no meu ano. Lembro-me que na 4.ª classe a professora chegou a sugerir aos meus pais que me comprassem livros de História para adultos, porque dizia que eu era demasiado exigente nas perguntas e demasiado ávida de respostas. Era uma chata, em resumo. Acabei por ir para Humanidades no 10.º ano, apesar de adorar Matemática (ia sempre às Olimpíadas) e ter uma paixão por Educação Visual e desenho. A escrita foi, portanto, sempre uma constante, nomeadamente na minha vida profissional.

O blog foi criado no momento em que estou a preparar a minha tese de mestrado. Passo horas, todas as noites, em frente ao computador a escrever e, por vezes, canso-me dos termos técnicos e da linguagem tão formal. Sentia uma necessidade de extravasar a minha vontade de escrever para outros temas. Andava a sentir-me "presa" no tipo de escrita que tinha de adoptar. Andava a sentir a minha vida cinzenta. Sem actividades que me despertassem paixão. Sentia que precisava de algo mais, de algum hobby que me fizesse sentir novamente adrenalina, o sangue a correr-me violentamente nas veias.

Até que tive um encontro com um astrólogo. É verdade. Devia ter vergonha de admitir, repito, mas tive. As minhas amigas tinham ido lá, disseram-me maravilhas e eu, sempre céptica, recusei ir também. Só que não contava é que o jantar que marcámos todas naquele restaurante tivesse (por coincidência?) incluída uma leitura do mapa astral. O resultado já podem prever. Não só o raio do homem acertou tudo sobre o meu passado, ao ler o meu mapa, como me disse, quanto ao meu presente: "tem imenso jeito para as artes; não se dedique profissionalmente a elas, mas despenda todo o tempo que puder nessas actividades que lhe dão prazer. Vejo que lhe vai trazer imensas alegrias". Se é um motivo estúpido? Com certeza. Mas, se não servir para mais nada, pelo menos serviu para um mês em que realmente fui muito mais feliz.

Obrigada, Sr. Astrólogo. Obrigada, caros leitores. :)

10 comentários:

  1. Parabéns Pippa:)
    Keep going:)

    jinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Suri!! Hei-de continuar, sim. O blog ainda é um bebé :) beijinho

      Eliminar
  2. O texto estava a ir tão bem até que falas no astrólogo :-P
    Em todo o caso, tu só ouviste aquilo que querias ouvir.
    Continua, que gosto de te ler.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sabia que a parte do astrólogo ia estragar tudo e tornar isto piroso, mas não ia dizer a verdade toda se não contasse o que realmente deu o impulso final! :)

      Eliminar
  3. Que seja apenas o 1º de muitos meses :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperemos que sim! Obrigada!

      Eliminar
  4. Muitos parabéns a ti. Não pares por favor.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Tu escreves tão bem que é um grande incentivo dizeres-me para escrever também. :)

      Eliminar
  5. Welcome!
    E continua! Devemos fazer sempre aquilo que nos sabe melhor e nos torna mais felizes! :)

    ResponderEliminar
  6. Anónimo15:07

    Ainda bem que começaste o blog! tive acesso a ele através do blog do Arrumadinho e não consigo parar de ler os teus posts :)

    ResponderEliminar