segunda-feira, 22 de abril de 2013

Se este blog tivesse sido criado há dez anos

Se este blog tivesse sido criado há dez anos, e eu escrevesse algo semelhante ao que escrevia no meu diário da altura, tenho a dizer que este blog ia ganhar o título de "o mais ridículo de sempre". Encontrei desabafos meus dessa altura, no meio das mudanças, e escusado será dizer que ninguém me tirou mais dali. Fiquei uma hora (ou terá sido mais?) perdida no tempo, a relembrar os meus pensamentos de jovem (des)apaixonada de vinte anos. E era tão dramática, meu Deus! Como se o mundo fosse acabar ali ao virar da esquina.

E isto levou-me a pensar em conselhos que gostaria de poder dar ao meu "eu" antigo, caso me fosse permitido viajar no tempo:
- Se estás com dúvidas, é porque realmente não gostas dele.
- Depois de acabares com ele, o mundo dele não vai acabar. Ele não se vai suicidar nem tornar-se um marginal. Vai simplesmente chorar dois ou três dias e depois recupera.
- Esquece os teus pais e preocupa-te mais contigo. Eles vão falar com futuros namorados teus, mesmo que digam o contrário. E não és uma grande p$&@, só porque podes vir a ter mais que um namorado, ok? É apenas um pensamento ridículo.
- Ainda não sabes, mas estás preocupada com ele, e daqui a uns meses ele vai contar-te que namora com a melhor amiga da irmã. Sim, aquela das mamas grandes! Pois... por isso, podes confirmar que vai ficar bem servido e não a cortar os pulsos, enquanto tatua o teu nome com os golpes da navalha.
- Vais conhecer outros homens, achar que estás apaixonada, vais viajar com as tuas amigas, vais voltar a sofrer de amor, vais voltar a questionar tudo e são as tuas amigas que vão estar sempre presentes. Pensa mais nelas, e menos em encontrar o "tal", porque tens realmente as melhores amigas do mundo e podes confiar a 100% nelas.
- Em vez de sofreres por amor, com dúvidas parvas "ele é lindo, imagino-me a envelhecer ao lado dele, temos os mesmos gostos de música, livros e filmes, nunca mais vou encontrar um homem igual", agarra-te mas é aos livros e estuda, porque não é a escrever diários que os exames se fazem!
- E, aqui, entre nós, vais encontrar o homem da tua vida dentro de pouco tempo. Só vais é saber que ele é o "tal" anos depois de o veres a primeira vez. Relaxa. Tens vinte anos, é altura para aproveitar o mar de oportunidades que o mundo te dá. Não tens responsabilidades, grandes obrigações, ninguém espera nada de ti. Aproveita, apenas.

12 comentários:

  1. Anónimo11:24

    "Tens vinte anos, é altura para aproveitar o mar de oportunidades que o mundo te dá. Não tens responsabilidades, grandes obrigações, ninguém espera nada de ti. Aproveita, apenas."

    Tenho quase 20 anos e arrepiei-me com esta frase :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem. É mesmo para aproveitar!!

      Eliminar
  2. Marta12:59

    Olá!

    Tenho andado por aqui sorrateiramente e pela primeira vez vou comentar um post, precisamente porque tenho 20 anos e identifiquei-me com o que escreveste. Soube bem ouvir os 'conselhos ao teu eu antigo', obrigada :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta, isto era o que eu diria ao meu "eu" antigo, mas já que ele não está cá para ouvir, espero que sirva para alguém. :)

      Eliminar
  3. Pois! Mas é que é mesmo, mesmo assim. O meu "eu" de 30 anos concorda inteiramente com este post.
    Meninas de 20:saibam que o coração recupera sempre, sempre, sempre. Por mais que na altura achem que não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Observador Atento14:59

      É verdade. Podes tirar os pregos do coração...
      mas sempre que olhares para ele... continuarás a ver as cicatrizes.
      Contudo, isso não é necessariamente mau.

      Eliminar
    2. O coração recupera e é com esses desgostos que fica mais forte. E mais forte.

      Eliminar
  4. Observador Atento14:52

    Existe "sempre" um ("eu") Futuro que avalia o ("eu")Passado que é o nosso ("eu") Presente. Daqui a 10 anos, quando estiveres na casa dos 40, vou gostar de ler os conselhos que tens a dar ao teu "eu" de 30 anos.
    O segredo é: se estás satisfeita com o que ÉS (no "eu" presente) é porque o teu passado foi o correcto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Observador Atento15:04

      Acredito no efeito borboleta (que tal um novo tema de comentário no blog?).
      :)

      Eliminar
  5. É pena que o nosso antigo "eu" nunca esteja presente sempre que o nosso atual "eu" já sabe mais algumas coisas da vida hehe Mas é como dizes - pode ser que alguém faça de substituto do nosso antigo "eu" e oiça os nossos conselhos. Gostei do teu blogue :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que é por isso que adoro ouvir histórias das minhas avós. Adoro ouvir os conselhos desses "eu"s mais sábios. ;) Obrigada, Mocha!!

      Eliminar
  6. Anónimo12:30

    Tenho precisamente 20 anos e estou a passar por um "desgosto" de amor. Senti-me mais confiante e segura depois de ler este post. Obrigada :)

    ResponderEliminar