terça-feira, 19 de março de 2013

Querido, papá

Como estás?

Está na altura de dar o devido valor ao teu dia. O valor que, infelizmente, nunca dei. E ambos sabemos porquê... Tiveste algum azar com o que aconteceu no teu dia, porque, depois disso, ficaste sempre em segundo plano, não foi? Desculpa. Hoje quero rectificar isso.

Bem, ainda não falei contigo hoje, mas imagino que o teu dia terá começado contigo a acordar cedíssimo, sem sono, e cheio de energia, como é usual. Nunca vi ninguém com um ritmo tão acelerado logo antes das 8h. Aposto que foste já comprar o jornal, o pão quentinho à pastelaria, começaste já a pensar no que farás no fim do dia - se vais jogar ténis ou andar de bicicleta - e preparaste depois o pequeno-almoço. Se a mamã teve sorte, foi brindada com um sumo de laranja natural - ai que saudades que eu tenho de acordar ao som da máquina de fazer sumo, era sinal dum acordar perfeito e fazia-me sonhar com um homem que um dia fosse capaz de me mimar como tu.

Depois, terás ido trabalhar, e lançar o teu charme, e imagino que, no final do dia, vás buscar o bolo que encomendaste para comemorar tudo o que o dia de hoje significa. Vamos jantar juntos e vais contagiar-nos com a tua energia e com a tua necessidade de planear tudo. Quando dermos por ela, durante o jantar, já vamos estar a falar das férias de Verão, tenho a certeza. E vais perguntar, pelo menos dez vezes, se o jantar está bom e se aprovamos o bolo que escolheste. És um bocado monopolizador nas conversas, mas sei que não é por mal, até porque te preocupas connosco.

A verdade é que até te preocupas demasiado connosco e eu cresci a achar que isso era o normal. Passaste tardes sentado ao meu lado a ensinar-me a pintar. "Não saias do risco. Cuidado. Issooo... Agora pinta sempre na mesma direcção. Muito bem!! Cuidado. Isso, olha que beem." Fizeste de mim a pessoa perfeccionista que sou hoje. Sentavas-te comigo a desenhar, a ensinar-me a perspectiva, a ensinar-me a usar os lápis certos, a corrigir cada pequeno detalhe. E contigo ganhei o gosto pelo lápis e pelo desenho. Não segui arquitectura por um triz. Levavas-me contigo para todo o lado. Conversavas comigo como se fosse adulta. E, se estava doente (fui uma criança muito doentinha, não fui? com as malditas crises de bronquite e asma), ficavas toda a noite sentado a olhar para mim. Eu achava aquilo normal. E acreditava que todos os teus pais seriam como tu. Cresci a acreditar que todos os pais conseguiam construir uma cama em madeira para a nossa boneca preferida. Que todos os pais conseguiam pegar num papel e desenhar o que quisessem. Ou construir um pássaro. Ou um avião - sim, fazias magia com uma folha de papel. E cresci contigo a dar-me um beijinho na "covinha do nariz" para dormir, depois de a mamã me ter lido religiosamente alguma história. E eu dormia. "Boa noite", respondia com a minha voz anasalada e cheia de mimo - sim, há gravações da minha voz.

Cresci a chamar-te Pai Herói. A mamã diz que era por causa duma telenovela - até podia ser - mas eu sentia-o como sendo o "teu" nome. Eras o meu Herói. Eras capaz de tudo. De construir aviões. De curar todas as minhas crises de asma. De me fazer sentir invencível. De responder a todas as minhas dúvidas. E ainda hoje confesso que sinto o mesmo - que não há problema que não consigas resolver. Porque, apesar de muitos anos terem passado, algo se mantém: a tua perseverança, capacidade de persuasão e argumentação. Consegues sempre tudo o que queres, e adorava que um dia me dissessem que nisso saí a ti.

E a verdade é que até dizem muitas vezes que saio a ti. Sabias? Dizem que sou perfeccionista como tu. Que sou impossível quando bato numa tecla, porque só desisto quando ganho a discussão. E fisicamente, claro, também comentam. Mas com a nossa cor de pele e cor de olhos era impossível não comparar, certo? Além de que até a "borboleta", aquela marca de nascença, temos iguais. Querias mais semelhança?

Papá. Herói. Meu Pai Herói. Ao longo dos anos, nunca dei o devido valor ao teu dia. Sei disso. Desculpa. Desculpas? Mas sabes que não escolhi nascer neste dia. E não escolhi tirar-te o protagonismo. Sei que dirás que o meu nascimento foi o maior presente que te podia ter dado neste dia, mas essa parte não dependeu de mim. Esta carta e dizer-te o quanto significas para mim dependem. Obrigada por tudo. Tem um óptimo dia!

beijinhos,
a tua filha.

16 comentários:

  1. Parabéns a vocês, aos dois :)

    ResponderEliminar
  2. O dia do pai passa-me um bocado ao lado... não sou mesmo dada a datas comemorativas ou a demonstrações de afecto, já agora. Mas isto foi bonito! Parabéns :)

    ResponderEliminar
  3. Anónimo12:44

    Gostei muito da declaração de amor que fizeste ao teu Pai Herói.
    Feliz aniversário, Pippa :)
    VS

    ResponderEliminar
  4. Anónimo14:40

    um óptimo aniversário pippa :)*

    ResponderEliminar
  5. Anónimo16:16

    Parabéns!!

    ResponderEliminar
  6. Muitos Parabéns e Feliz dia para ti e para o teu pai Heroi =)

    ResponderEliminar
  7. Amei!!! Parabéns,aos dois!!!

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo20:41

    Parabéns!
    Adoro o teu blog. sigo religiosamente e hoje achei oportuno comentar - escreves muito bem na minha modesta opinião (que vale o que vale).
    Parabéns a ti e a ele... :))
    E acredita, nem todos são assim...MESMO!

    o meu blog é o http://tripofthewords.blogs.sapo.pt/

    beijinhos Mariana Candeias

    ResponderEliminar
  10. Bárbara20:57

    Olá Pippa!
    Sou seguidora do seu blog mas sem nunca comentar. Contudo, hoje a vontade falou mais alto.

    Identifico-me na totalidade com o que escreveu. Nunca dei o valor a este dia, sempre disse que o meu pai era pai graças a mim. Antes de ser dia do Pai é o meu dia.
    Também faço anos hoje.

    Mas o seu texto, fez-me descer à terra, fez-me ver mais além.
    Obrigada pela partilha!

    Muitos parabéns pelo texto.
    Muitos Parabéns pelo seu aniversário!!!!

    ResponderEliminar
  11. aaahhh, parabéns Pippa!!! uma beijoka e muitas felicidades:)****

    ResponderEliminar

  12. Parabéns Pippa!
    E para o teu pai também que merece dividir contigo o protagonismo deste dia a avaliar por todos os elogios rasgados que lhe fizeste nesta bela carta! :)

    ndnan.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  13. Parabéns atrasados =) Uma dedicatória muito bonita este texto =)

    ResponderEliminar
  14. Oh, cheguei tarde...mas fica um beijo de parabéns atrasados!

    ResponderEliminar
  15. Olá Pippa!Estou de sorriso nos lábios e... de certa forma emocionada! Gostei imenso deste seu post, tão espontâneo e belo. Muitos parabéns pelo maaravilhoso pai que tem e pela excelente filha que é!Muitos parabéns, também, pelo seu aniversário. Beijinho grande

    ResponderEliminar
  16. Anónimo12:03

    Muitos Parabéns! (atrasados mas o que interessa é intenção)

    ResponderEliminar