segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Roupa vintage

É poder andar com roupa por lavar, a cheirar a mofo, e estar 'in'.
É poder usar o mesmo, ano após ano, cheio de borboto, e ser motivo de orgulho.
"Esse casaco está um pouco velho, não está? Está descosido nas mangas e a cor está desbotada."
"Não, querida. Este casaco é vintage."
Estou a ouvir no telejornal que o vintage é mais que uma tendência - é uma forma de vida.
Não é um bocado exagero?
Eu sei que há verdadeiras relíquias que se encontram nessas lojas e sei que há gente muito bem vestida, e que consegue incorporar roupa mais antiga no visual, de forma irrepreensível.
Mas infelizmente já vi também tanta gente mal vestida e a cheirar a duzentos anos...
A questão é: a roupa vintage também se pode lavar, não?
Se não, dou já uma de vintage, que sempre é mais prático e escuso de ligar a máquina de lavar. A vida anda cara... ;)


26 comentários:

  1. Podes não a lavar, mas desde que não uses roupa interior vintage ;)

    ResponderEliminar
  2. Ainda ontem MorMeu (Homem, portanto, note-se bem) comentava um casaco que o Nicolau Breyner estava a usar, que queria "aparentar" ser vintage, mas que na realidade estava gastíssimo e velho nos cotovelos e nos punhos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahah Não vi, mas já me fizeste rir.

      Eliminar
  3. Também acho que essa da forma de vida é exagero! Vais dizer que veêm tv a preto e branco, daquelas com 200anos? Ou que andam num carro a cair de podre só pra dizer que é vintage??!! Naaaa :p

    Coisasquetaiseafins.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E só namoram com pessoas com mais de 80 anos, para ser vintage até no amor.

      Eliminar
  4. Isso não se fica pela roupa. Também há muito boa gente com "pensamento vintage" lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desses não falaram no telejornal, mas dava para explorar também o tema. ;)

      Eliminar
  5. Ás vezes o problema é distinguir uma peça vintage de uma peça velha. E se lermos alguns blogs ou dermos um passeio pelo Chiado vamos encontrar muito disso, de roupa velha!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto! Como disse no texto, sei que há verdadeiras relíquias e pessoas que sabem fazer realmente uso delas, mas a verdade é que muita gente usa esta moda para "o mal". ;)

      Eliminar
  6. Como te compreendo querida! Tenho uma amiga que anda sempre com roupa antiga e não há cá maquina de lavar... para quê...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens que ser gentil e apresentar uma máquina de lavar à tua amiga. ;)

      Eliminar
  7. Também vi essa reportagem, mas confesso que o facto de a jornalista estar sempre a dizer "vintige" (em vez de "vintage") descentrou um pouco a atenção que normalmente dispensaria ao fundo da questão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahah Tenho pena de não ter reparado. Pode ser que repitam...

      Eliminar
  8. Anónimo16:53

    Acho que o problema é mesmo a palavra em si, as pessoas só se concentram num aspeto, na palavra "vintage" porque a associam a algo realmente "in" nos dias de hoje. No entanto esquecem-se que se trata de moda ou modas e que o segredo do vintage não está nas peças antigas, gastas e mal tratadas, mas sim nos cortes, padrões, pormenores que nos remetem diretamente para o conceito em causa e essencialmente na capacidade de saber conjugar tendo a plena noção do que nos fica bem. É claro que não há nada com mais presença, que uma peça verdadeiramente "vintage" contudo deve estar bem preservada e assentar realmente bem na pessoa, caso contrário perde todo o protagonismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A última frase é 100% verdade e acrescento que me rendo completamente a peças antigas desde que bonitas, bem integradas no conjunto e com algum valor sentimental.

      Eliminar
  9. Tb vi a reportagem, ontem e hoje (pra varia, sempre a repetir tudo!) e para mim, Vintage só mm uma peça ou outra que seja um daqueles achados raros! Vestir-me completamente da cabeça aos pés n é o meu estilo. Beijinhos *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daquilo que vi do teu blog, parece-me que tens um estilo mais actual, jovem e fresco, não é? E gosto. :)

      Eliminar
  10. Quando se trata deste tipo de roupa, o importante é mesmo o tipo de peça, o corte e a qualidade. Há muito a mania de dizer que alguma coisa é vintage quando na verdade é apenas velha. Acho que um ou outro apontamento tudo bem, dá só uns ares da época, mas quando é da cabeça aos pés já parece máscara de Carnaval. Por exemplo, eu encontrei um blazer de veludo da minha mãe (da altura dos seus 20 anos) que estava em perfeitas condições e, mais importante, servia-me. Mas antes de o vestir tive o cuidado de o levar à lavandaria para uma limpeza a seco... E pronto, fiquei com um blazer "novo" (que agora está na moda outra vez) por menos de 5 euros... Bom negócio, certo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certíssimo! ;) E de certeza que tem mais valor sentimental que qualquer outra peça...

      Eliminar
  11. O mais importante do *vintage* é que pode ser aplicado perfeitamente à conjuntura economica actual. A mensagem principal do *vintage* é que possivel reutilizar a roupa que está esquecida num canto do guarda-fatos e estar bem vestida (daí poupar uns valentes euros). Mas atenção é importante lavar (ahaha adorei a questão do mofo), é importante a roupa estar em condições (sem borboto, sem rasgos, sem ter aspecto gasto) e ao misturar com roupa actual é o que o conceito de *vintage* irá fazer sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei da tua interpretação da mensagem do vintage. Sem ironias, gostei mesmo, porque realmente nunca tinha pensado desse 'prisma'. ;)

      Eliminar
  12. Por vezes encontram-se peças que são autênticas relíquias (a maior parte a preços até exorbitantes) mas é a chamada moda "hipster" do momento. Há-de passar, como tudo! Admito que tenho algumas peças, mas prometo que não cheiram a naftalina! Ahah, gostei do blog, vou seguir! :)
    Beijinhos, Catarina
    http://petitsmorceauxdemoi.blogspot.co.at/

    ResponderEliminar
  13. ahahaha...tens toda a razão, vintage não é o mesmo que ser-se porquinho ou andar feito farrapilho!

    ResponderEliminar
  14. Ias fazer sucesso no escritório, se fosse toda vintage :p

    ResponderEliminar