terça-feira, 11 de junho de 2013

A minha vida é perfeita. E a tua?

Já não aguento abrir o Facebook e ver tanta gente a amar-se da forma mais intensa que alguma vez se amou. A viajar para sítios paradisíacos onde o mar e o céu são muito mais azuis e vibrantes que alguma vez os meus olhos viram, e quase me cegam com tanta luz. A comer pratos com comidas lindas, coloridas e espectaculares, daquelas com menos de três calorias e que só as pessoas saudáveis e magras conseguem comer sem sentir fome no fim. Não aguento abrir o Linkedin e ver toda a gente com mil "skills" actualizados todos os dias, sempre descritos em inglês, porque o português é a língua dos pobres e temos que falar e pensar internacional, mesmo que desejemos trabalhar sempre em solo lusitano. Não aguento ver blogs de moda em que só os sapatos custam duas ou três rendas de casa, a carteira custa quatro, os cabelos brilham mais que o sol, as pernas têm sempre metro e meio, pelo menos, e os sorrisos às 8h da manhã são sempre mais rasgados que o meu sorriso às 2h da manhã, depois de dois gin.

É que eu amo uns dias mais, outros menos. Não sou intensa a amar 24h/dia, é cansativo e tenho que comer e dormir. Às vezes não estou para aí virada. Ou não está ele. Às vezes irrito-me e apago-lhe a luz enquanto toma banho. Outras vezes ele diz-me simplesmente "estás sempre perfeita" ou "és a mulher com o sentido de humor mais inteligente que já conheci", e eu fico a nadar em baba e dou-lhe beijos, e beijos e agarro-me a ele qual lapa. É que eu viajo para sítios paradisíacos, mas já entrei em hotéis em que tive nojo dos lençóis e tirámos fotos apenas para dar má classificação no Booking. E no dia seguinte ri-me da história e ficou algo para contar. É que eu como comida espectacular, mas às vezes dá-me a gula às 2h da manhã e como apenas bolachas no sofá, de pijama e cabelo desalinhado, e fico com migalhas no pijama que depois tenho que cuidadosamente deitar para a banca da cozinha. É que eu tirei um curso e trabalho, mas descrevo a minha actividade em português e de forma pouco glamourosa. É que eu visto roupa que às vezes custou meia renda, mas depois tenho vergonha de mim mesma e não digo o preço em voz alta. Fico de castigo auto-imposto, a ir menos vezes a restaurantes, e entro em dieta forçada de compras. Ah e nessa altura não consigo sorrir por pensar na conta bancária.

Tenho uma vida normal, com momentos dignos de filme, com cor, riso, dança, muito amor e amigos. Tenho momentos em que imagino que sou a protagonista duma comédia romântica, tal é a intensidade do momento. E momentos estúpidos, em que sou uma Bridget Jones a comer desalmadamente e cheia de auto-comiseração. Mas sinto-me uma raridade, neste momento. A vida é com certeza perfeita lá fora, tal é a forma como é descrita nas redes sociais. A perfeição só não chegou ainda a minha casa, deve ter-se enganado na morada.

27 comentários:

  1. Anónimo11:13

    Não se enganou na morada. Enganou-se na conta do facebook...

    ResponderEliminar
  2. Grande texto :) excelente de descrição de muitas (aparentes) vidas que se vêem em alguns perfis... Pois, a mim essa perfeição também ainda não chegou,mas também nunca fui boa a fingir :D..

    ResponderEliminar
  3. Mas que maravilha!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. renata freire11:57

      obrigada pela partilha!

      Eliminar
  4. renata freire11:57

    Adorei!
    Simplesmente fantástico.

    ResponderEliminar
  5. Olha que giro. A minha vida é assim perfeita, com exceção do amar, do viajar para sítios paradisíacos e pratos de comidas lindas. Ah e também não tenho o linkedin atualizado. Mas tirando isso, tudo é perfeito. LOL :P

    ResponderEliminar
  6. Anónimo12:02

    Muito bom!!! Tal e qual o que eu sinto...
    Rute

    ResponderEliminar
  7. Isso. Sem tirar nem pôr :)

    ResponderEliminar
  8. Olha, ao menos, escreveste um texto perfeito:p
    *nunca, e eu digo nunca, traduzas os teus textos. A sério, é irritante, ou melhor, eu considero irritante. Estamos em Portugal, falamos português e escrevemos em português e inglês? Valha-me qualquer coisa.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo13:22

    Oh Pippa às vezes parece que me lês os pensamentos..!
    Ultimamente o facebook tem-me irritado cada vez mais. É assustadora a forma como as pessoas se tornaram obcecadas por mostrarem o quão a sua vida é perfeita e maravilhosa. O pior é quando eu conheço bem as pessoas e sei que aquilo que elas mostram é uma falsidade total.
    A minha vontade era desativar a minha conta, só não o faço porque por motivos profissionais me ajuda bastante.

    ass. catarina

    ResponderEliminar
  10. Ninguém é perfeito, nem tem uma vida perfeita, as redes sociais servem para as pessoas idealizarem essa vida e fazerem da vida delas algo que não é...

    ResponderEliminar
  11. Anónimo13:42

    Como estou em "anónimo" vou ser totalmente sincera:

    Eu teoricamente tinha uma vida perfeita para expor no facebook. Viajo com frequência, vou aos concertos que toda a gente sonha ir (Museee!) dou-me super bem com o meu namorado, gosto de comer coisas que em fotografias ficariam mesmo bem. A diferença é que não publico nada no facebook. Ninguém tem de saber o que faço ou deixo de fazer.
    Depois, deparo-me com posts do género ("eu e o meu menino na praia ali da esquina" ou posts "eu e o meu menino a jantar no mac downloads") e dá-me pena dessas pessoas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofia22:17

      Eu nunca sonhei em ir ao concerto dos Muse... Mas pronto, isso sou eu, que não sou perfeita como a menina.

      Eliminar
  12. Afinal existem outros "eus" como eu...

    ResponderEliminar
  13. Texto muito bom! No entanto, se cada uma dessas pessoas visse este texto, certamente que não se reveria nele. As pessoas partilham os momentos que acham que são bons. O problema é que é meio mundo a fazer isso. Mas antes assim... Olha se começassem apenas a partilhar os maus.

    ResponderEliminar
  14. Adorei!!!
    Mas realmente o que importa é a felicidade que está dentro de nós, não aquilo que se mostra ao mundo, essa muita vez é só show off.

    http://mysweethearthome.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  15. Anónimo16:19

    Em tudo na vida há o bom
    e o mau,até do mal se tira
    ilações para se fazer bem.
    Bem acha o progresso...
    E a você Pipa, é um gosto lê-la.

    ResponderEliminar
  16. Anónimo17:04

    Concordo. Mas prefiro pessoas com vidas quase perfeitas, às que partilham imagens e textos que servem para pedir atenção/pena/preocupação! As imagens de vidas perfeitas são bonitas, é tudo uma questão de quantidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:35

      Tb concordo.
      Adoro ver pessoas felizes agora aquelas que estão sempre a fazer-se de coitadinhas, não há paciência!

      Eliminar
  17. Ai as vidas perfeitas do facebook...tanto que podíamos dizer!

    ResponderEliminar
  18. Ah, mas que grande textooooo!! Espetacular!

    ResponderEliminar
  19. Vidas perfeitas são monótonas e simplesmente não existem (só mesmo no facebook lol). Ainda bem que a vida perfeita ainda não chegou a tua casa, se não tinhas uma bela vida de fachada. Acho que o facebook pode ser um bom instrumento de trabalho, pode ser um instrumento de atualização a nivel de notícias, cultura geral, etc, pode ser um modo ainda de estar a par dos amigos (dos q vais vendo regularmente e dos que vês de x em x anos, e dos conhecidos). Mas o facebook tem essa mania irritante de "dourar a pílula". Mais do que as fotos maravilhosas de viagens ou de comidas fantásticas e coloridas, o que me irrita mesmo é o constante "bom-dia", "boa-tarde", "boa-noite", "vou agora ver a série x", "a sair para ir comer", "a sair para ir cagar", etc etc (esta última não dizem bem assim lolll). Mas bule-me os nervos (mesmo!!) estas tiradas idiotas! Haja paciência...
    Essa do amor eterno e a toda a hora que toda a gente proclama... Opa... Haja paciência também, é mesmo só para inglês ver e para (tentar) fazer inveja lol

    ResponderEliminar
  20. Pois a mim, pareceu-me bastante perfeita essa vida ;)

    ResponderEliminar
  21. Anónimo04:26


    Oh pá ..... até me sinto aliviada .... começava a acreditar ser a única com uma vida normal.

    Cris

    ResponderEliminar
  22. Anónimo13:57

    Muito Bom!!! :)

    ResponderEliminar
  23. Anónimo11:34

    ahahahahahaahah é bom ler este blog por causa de posts como este :)
    Um grande beijinho para a Pippa!

    ResponderEliminar