quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Tatuagens

Não tenho nada contra tatuagens. Não tenho nada contra uma ou outra tatuagem discreta e bonita. Nunca fiz, mas não repugna nada que alguém tenha. E até consigo achar uma ou outra engraçada, sim. No entanto, esta recente generalização, massificação até, das tatuagens já me cansa. Hoje estava a ver o vídeo do David Beckham para a nova campanha da H&M (aqui), vídeo esse até realizado pelo respeitado Guy Richtie, quando dei por mim a pensar "quando é que o álbum de fotografias, a parede de casa e os diários deixaram de ser suficientes? Quando é que passou a ser mais lógico espetar os nossos pensamentos, frases preferidas e caras da família... no corpo, com agulhas?". Não sei. O que sei é que já me fartei de ver jogadores de futebol e basquetebol (principalmente) cheios de Nossas Senhoras e outras variantes religiosas, cheios de frases a apelar a alguma sabedoria, cheios de caras recortadas e desenhos tribais espalhados pelo corpo. Já me cansei daquele manto de tinta. Uma pele limpa não é muito mais bonita? Além disso, parece-me que já deixou há muito de ser uma forma de mostrar ao mundo olhem-bem-isto-é-o-que-sinto-o-que-penso-e-o-que-sou. Passou simplesmente a ser M.O.D.A. Moda. Ter tatuagens já não simboliza ai-que-sou-tão-rebelde-e-luto-contra-o-sistema. Simboliza apenas, para quem as faz, que é parte do tal sistema. E talvez tenha sido nesse momento que me cansei definitivamente da moda das tatuagens. Se não, veja-se que até algumas das actuais bloggers de moda famosas além-fronteiras, mesmo com estilos mais conservadores, já aderiram à "febre da tinta":
A italiana Veronica, do The Fashion Fruit, escolheu tatuar nas costas aquilo que me parece ser uma borboleta. 
Esta tatuagem do mapa-mundo da também italiana Chiara, do The Blonde Salad, é das poucas a que acho alguma, porque dá para esconder com as pulseiras ou relógio.
A espanhola Alexandra, do Lovely Pepa, não devia ter folhas à mão, por isso escreveu no pulso algum recado para não se esquecer depois.
Mais tatuagens da Chiara. O laço na nuca é o pior, para mim. E lá estão as frases outra vez... Tantas frases... Ele é braço, ele é antebraço. Tudo menos escrevê-las numa folha, isso é que não.
Já estas tatuagens gosto mais, porque pelo menos estão em sítios discretos. Não cansam tanto.
E vocês, gostam de tatuagens? Já fizeram? Eram capazes de fazer? Ou já se cansaram, como eu?

26 comentários:

  1. Que fotos tão desalinhadinhas. :)

    ResponderEliminar
  2. Já vou arrumar tudo, senhor... :p

    ResponderEliminar
  3. Mariana22:14

    Eu gosto de tatuagens, mas discretas. Não tenho nada contra quem tem um braço coberto a tinta, mas eu não era capaz - gosto delas em sítios mais escondidos, em que só vejam a luz do dia se eu quiser.
    É por isso que uma tatuagem que gostava de poder fazer no futuro é uma seta (mas das bonitas, ahahah!), um pouco abaixo da zona do soutien, do meu lado esquerdo. E, como não quero parecer daquelas pessoas que aderiu à moda do "ai-deixa-me-tatuar-o-corpo-com-infinitos-e-frases-super-sentimentalistas", só porque sim, só porque são giras, digo também que a minha possível tatuagem tem um significado importante para mim: para que uma seta possa andar em frente, tem de ser puxada para trás, primeiro. Muito basicamente, a seta simboliza aquilo por que já passei.

    ResponderEliminar
  4. Francisco22:39

    Se a miuda for gira fica bem, como tudo portanto. Pode dar um certo edge a pessoa, torna-la um bcd mais interessante de ver.

    Lembro-me daqueles programas estilo 'miami ink' e oq eu me ri com as historias que aquelas pessoas inventavam para justificar a tatuagem. Pessoalmente acho que se nao fores das forcas armadas, ex presidiario ou marinheiro, 'e apenas um exercicio de vaidade e pronto, as pessoas fazem para as outras notarem e nao tem grande mal nisso.

    Agora,ja acho estranho pessoas como o Lourenzo Cardoso que parecem que cairam dentro do caldeirao das tatuagens. Isso da um ar um bocado reles e a maioria arrepende-se quando comecam a ter alguma coisa dentro da cabeca.

    ResponderEliminar
  5. Joana Banana22:40

    Concordo que esta moda das tatuagens começa a ser ridicula. Começo a pensar nesta gente tota tatuada com 80 anos, como serão??
    Eu tenho uma tatuagem no tornozelo, é fácil de disfarçar com umas meias e em último caso com um penso rápido. A tatuagem foi feita por mim e tem o aspecto de um símbolo chinês, mas é única, não existem fotos dela, por isso de certeza que nunca a vou encontrar nas costas de outra pessoa durante um mergulho na praia, como já aconteceu a um ex-namorado.
    Por fim, quero fazer mais umas mas coisas pequenas e sempre com significado mas ainda não encontrei o realmente quero.

    ResponderEliminar
  6. Gosto muito de tatuagens. Não tenho nenhuma. Não me parece que as tatuagens sejam uma moda - quem não gosta de tatuagens e nunca gostou não vai fazer uma só porque toda a gente tem e para não se sentir diferente. As tatuagens são muito mais populares hoje em dia do que eram há 10 anos porque são cada vez mais bem aceites e menos olhadas de lado, tanto na sociedade em geral como no meio laboral. Claro que, dentro da arte da tatuagem, há modas, sim: as tatuagens no pulso, por exemplo, os infinitos, como a Mariana referiu, os pássaros, etc (há dez anos eram as tribais e os caracteres chineses).

    Quanto ao espetar as frases e os retratos numa folha de papel em vez de no corpo, é simples: tatuares uma frase que te fale ao coração, ou um retrato de uma avó, ou um símbolo do género que a Mariana referiu, é elevá-los a outro nível, é imortalizá-los na tua pele, é torná-los irremediavelmente parte de ti. Se é só para nós ou para mostrar, se é para sempre ou até nos arrependermos... isso já é outra história.

    ResponderEliminar
  7. Eu gosto de tatuagens mas como tudo o que vira moda, o exagero está à vista. Tenho uma apenas, no pé. É um poema, ou melhor, uma estrofe de um poema que tem, naturalmente, um significado importante para mim. A única particularidade é que está tatuado com a minha letra e não é um poema de grande conhecimento geral, pelo que não se deve repetir em outras peles. Mas fora essa, só tinha mais outra que gostaria de fazer mas não é uma obsessão e tem que ser perfeita, por isso, nem sei se algum dia a farei. Gosto de ver a pele ao natural, sem grandes pinturas.

    Para além de tudo o que já foi dito, as que me fazem mais confusão é tatuar os nomes. Não sei por que razão se faz isso (embora oiça as justificações), ou melhor, sei mas não é pacifico se o disser. Pior que tatuar nomes de outras pessoas, é tatuar o nosso. E há quem o faça. Estranho, no mínimo.

    ResponderEliminar
  8. É coisa que não aprecio, independentemente de ser moda ou não. Acho que uma pele limpa é muito mais bonita e "apetecível".

    ResponderEliminar
  9. Não tens nada contra tatuagens e escreves um post todo contra... Para quê o preâmbulo, então?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou contra tatuagens, sou contra a banalização e o fazer só porque está na moda. O preâmbulo é totalmente verdade.

      Eliminar
  10. Concordo contigo que isto das tatuagens é uma questão de moda!
    Gosto de algumas... muito poucas, e nunca seria capaz de fazer uma, pela simples razão que não gosto de coisas definitivas! Tudo o que tem significado guarda-se dentro do coração e fica cá dentro de nós, não é preciso marcá-lo no corpo! Até porque quando somos jovens são todas bonitas, mas quando as rugas começam a aparecer as tatuagens ficam todas deformadas e perdem qualquer encanto que possam ter.

    ResponderEliminar
  11. Filipa10:02

    A mim aflige-me a quantidade de tatuagens repetidas! Se vejo mais penas, andorinhas e infinitos - ou melhor, uma pena a desfazer-se em andorinhas - acho que me dá um ataque.

    Melhor melhor é ver as tatuagens feitas às três pancadas por amigos que por meia dúzia de trocos despacham a pintura na pele. Já vi tatuagens absolutamente assustadoras de tão mal feitas! Se querem pintar a pele, ainda para mais a título definitivo, juntem dinheiro e recorram a um profissional!

    ResponderEliminar
  12. Actualmente, as tatuagens são moda, é verdade, começam a ser banalizadas. É ver os "infinitos" e afins, e fazem-lo, desde que certos programas de televisão foram transmitidos. Porém, e por mim falo, e muito antes de esses tais programas serem transmitidos (já eu ansiava por acrescentar mais tinta ao meu corpo), mas existem pessoas que continuam a ser tatuadas porque gostam realmente disso. Não o consigo explicar. Não é gostar da dor, isso é parvo. Por amor de deus. Dói. Mas não dói horrores. Suporta-se. E depois passa. E olhar para a realização. Para o desenho que tu imaginaste, e em conjunto com o teu tatuador, se concretizou, e agora, ficou ali... marcado na tua pele. Lindo. É bom. É uma sensação muito boa. E depois também passa por se ter um profissional ao teu lado. Que desenha exclusivamente para ti. E que o teu dsenho é o TEU desenho. Não vai ser o desenho do próximo tipo que entrar na loja, ou estúdio dele. Tem que ser alguém que tenhas confiança, que já tenhas tatuado trinta mil pessoas que tu conheças, e que conheças bem o trabalho dele. Higiéne, esterilização acima de tudo. E falando de como fica com o passar do tempo, deixo este link. Adoro esta foto.... :) Eu adoro tatuagens. Tenho poucas. Espero mesmo ter mais.... :)
    http://24.media.tumblr.com/tumblr_m9pwu9Aa7z1re3eyeo1_500.jpg

    ResponderEliminar
  13. Tenho uma tatuagem. Se quero mais? Quero! Se vou fazer? Espero que sim.

    Mas nunca vi as tatuagens como uma moda. Para mim, é algo que tem um significado que eu entendo merecedor de estar gravado no meu corpo. Porque significa uma conquista, uma luta ou outra coisa qualquer que tem interesse apenas e só para mim. Não fiz a minha tatuagem para que as outras pessoas olhassem para ela. Nada disso. É meu e só a mim diz respeito.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E fazes tu muito bem. A mim só me preocupa quem faz porque os seus ídolos fizeram (bloggers de moda e jogadores de futebol ou basquetebol incluídos). E não parece ser o caso... ;)

      Eliminar
  14. Já me cansei, mas por acaso gosto muito da tatuagem da Chiara do mapa, é muito gira. Para mim as piores são mesmo as estrelas (muito cliché, podiam ser mais originais nas tatuagens)e os nomes (é mau, seja nome de namorado/a, filhos, pai, mãe, é mau).

    ResponderEliminar
  15. Não sou muito de tatuagens mas gosto de uma clave de sol pequena na parte de trás do pescoço ou no pulso, se fizesse era essa, pode ser que um dia me dê para isso ;) bjs

    ResponderEliminar
  16. Eu tenho uma tatuagem no pulso, um coração com um infinito entrelaçados. E nao comecem já todos aos "gritos" com os infinitos :p Nunca vi nenhum programa da moda nem sei se meio mundo tem infinitos. Sempre quis fazer uma tatuagem mas nao tinha dinheiro nem o meu pai deixava! As minhas amigas ofereceram me nos meus 27 anos a tatuagem como presente. E como gosto de coisas pequenas e discretas e acho o desenho, mostrado por uma amiga na net, giro e com significado para mim, fi-lo.
    Até agora so o vi online nunca noutra pessoa, mas com modas posso eu bem!
    Quando tiver 80 anos... Toda eu serei rugas, cabelos brancos... e um dos lembretes da juventude será a tatuagem, verde, enrugada... Who cares by then!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que não se tenha sentido criticada com o meu comentário; é verdade que as tatuagens dos infinitos são moda (e se fizer uma pesquisa rápida no google por 'heart infinity tattoo' verá que existem várias do género da sua, e todas no pulso), mas não estou com isto a criticar quem as tem. Aliás, como referi no meu comentário, acho muito bem que hoje em dia sejamos todos livres para tatuar ou não tatuar, seguir modas ou não seguir.

      Eliminar
    2. Eu tenho amigas com tatuagens e sei que, quando são bem feitas, até pode ficar engraçado. O post não é para criticar ninguém, é para trocarmos ideias... E gostei do final do comentário, Margarida. ;)

      Eliminar
    3. Não não!! Tanto que pus a língua de fora :p
      Gostei muito tanto do post como dos comentários porque expressam opinião sem criticar e sem "deitar abaixo". Aliás é por isso que sou fã assídua aqui do cantinho da Pippa :D

      Eliminar
  17. Anónimo22:48

    Sim, gosto de tatuagens. Umas mais que outras. Não critico quem as faz "por fazer", mas para mim não faria sentido. Elas fazem sentido como parte da tua individualidade, na minha opinião!
    E tenho uma. :)

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  19. .


    Eu também gosto de tatuagem,
    mas nos outros. Principalmente
    na mulher bonita. Aí eu fico
    horas, babando enquanto olho...

    Beijos. Estou te seguindo.

    silvioafonso





    .

    ResponderEliminar
  20. Anónimo13:56

    Engraçado ver este post depois de ter visto esta notícia sobre a nova tatuagem da Cheryl Cole, que cobre lhe o rabinho todo ( http://diversao.terra.com.br/gente/cheryl-cole-faz-tatuagem-que-cobre-todo-o-bumbum-e-recebe-criticas,e85693eec4cb0410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html ).

    E sinceramente, não podia concordar mais contigo. Tudo o que é levado ao exagero, cai mal. No entanto,uma pequena tatuagem, discreta, pode ser bonita.

    Comentando a tatoo da Cheryl com o mesmo argumento de um comentário que vi ali em cima, como será que fica aos 80 anos de idade?!

    ResponderEliminar
  21. eu adoro tatuagens! Mas para mim têm que ter significado! Adoro as pequenas discretas e de preferência em sitio que possam ser tapados com alguma coisa! :)

    ResponderEliminar