terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Testosterona ao volante

Nunca hei-de perceber porque é os homens ficam tão primitivos quando estão ao volante.
São ultrapassados por um carro que supostamente "é um chasso"? (atenção que nem sei o que é na verdade um "chasso", ou se é assim que se escreve).  Isto não pode ficar assim. Têm que defender a honra da marca e ultrapassar o infractor!
Há um carro de gama alta, mas de marca concorrente, que vem atrás e a aproximar-se? Toca a acelerar, que não leva a melhor!
Bem sei que os homens não são todos iguais e não se pode generalizar, e pa-ta-ti, pa-ta-tá. Há excepções, há homens bem comportados, civilizados ou com a testosterona controlada. Mas verdade seja dita: há tantos, mas tantos homens que levam a condução a peito, como se de uma guerra se tratasse! Cada movimento, cada ultrapassagem ou cada aceleração podem constituir uma vitória ou uma derrota. E eu nunca percebi. Posso ter o "pé pesado", mas também tenho a carteira leve. E não há cá grandes consumos para ninguém. Ultrapassem-me à vontade, sim? Prefiro perder a guerra.

3 comentários:

  1. Tenho de corrigir. Escreve-se chaço. O resto confirmo tudo.

    ResponderEliminar
  2. É mesmo uma questão de poder!

    ResponderEliminar
  3. Neste caso, sou como tu, não ligo nada a isso e prefiro economizar no combustível porque a vida está cara...

    ResponderEliminar