quarta-feira, 29 de maio de 2013

O namorado da amiga

Sempre foi assim: ia sair com as minhas amigas e cada uma tinha o seu "fã-tipo", isto é, um estilo (mais ou menos definido) de rapaz que reparava em cada uma nós e, eventualmente, nos abordava. Comigo costumavam ser os mais "betinhos" a meter-se. Com outra amiga, eram os que tinham um estilo mais descontraído e desportivo. Com outra, eram quase sempre rapazes mais altos e magros estilo "bad boy". Com outra, eram os rapazes mais divertidos que se metiam, para dar alguns exemplos. Acresce que, na maioria das vezes, os nossos gostos, ao comentar o panorama masculino que nos rodeava, não coincidiam. Nunca coincidiam, por incrível que pareça. Resultado? Hoje em dia, coincidência ou não, nenhuma das minhas amigas tem namorados/ maridos que façam fisicamente o meu estilo de homem. De qualquer das formas, independentemente destas considerações iniciais, jamais ponderaria envolver-me, nem sequer num futuro longínquo com todos nós solteiros outra vez, com algum deles. Jamais. Namorado de amiga torna-se assexuado para mim. Torna-se uma amiga também. Esta é das poucas certezas que tenho na vida. Das poucas coisas em que consigo afirmar convictamente: "nunca".

Por isso, nunca entendi como é possível, na maioria das séries, o elenco acabar por rodar todo, como um baralho de cartas que é partido, misturado e distribuído outra vez. A, B, C, D e E trocam entre si e formam todos os pares possíveis e imaginários. Não há mais possibilidades de pares? D assume-se como gay e agora anda com E. E, por sua vez, tem o coração dividido entre A e B. Mas B envolve-se com C. C gosta de D. Que afinal não é gay, é bissexual. E até sugere a E algo a três com C. Mas E descobre que gosta mesmo de A. Que está grávida de B. Que se envolveu com C, mas arrependeu-se e acaba na cama com A, numa noite de copos. Estão a ver o estilo, certo? Nunca entendi.

Para mim, namorado de amiga pode ser o homem mais interessante à face da terra, mais bonito e culto alguma vez visto, mas há-de ser sempre um ser assexuado, na mesma linha dum familiar. E não percebo a forma como, nestas séries que passam todos os dias na televisão (Grey's Anatomy, Private Practice, 90210, Gossip Girl, entre outras) se desculpabiliza assim o andar com o ex-namorado da melhor amiga. Como é tudo visto de forma tão leviana. Como se os sentimentos fossem descartáveis. E as histórias de amor se apagassem com uma borracha. Como se as histórias a dois não significassem nada, afinal. E fossem antes histórias da comunidade. É que, para mim, uma relação de amor entre duas pessoas deve ser sagrada - partilham-se histórias, pensamentos profundos, sentimentos, segredos e planos de vida. Se for como nas séries, para quê, afinal? A seguir, troca-se de par. E começa tudo de novo. Não percebo.

14 comentários:

  1. Não podia estar mais de acordo! Faz-me muita confusão esses "enrolanços" (sei que é uma palavra feia, mas dada a situação...)

    ResponderEliminar
  2. tão mas tão verdade... é por isso que para mim 90210 cada vez faz menos (ou nenhum) sentido até!

    ResponderEliminar
  3. Ficava caro pagar a um elenco muito grande, assim são sempre os mesmos e vai rodando, fica tudo em família xD

    Mas é algo que concordo em absoluto contigo!

    ResponderEliminar
  4. Há coisas que não se entende....essa é uma delas. Namorado de amiga,e até de outras mulheres é interdito!

    ResponderEliminar
  5. Penso como tu, mas acho que nem toda a gente pensa assim se não as séries não eram todas assim...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo20:40

    Se calhar as portuguesas são assim, as americanas já devem pensar de maneira diferente. Quanto às séries, acho que deve ficar mais caro à produção pagar a mais atores. Mas no caso da gossip girl até se torna ridículo, andam uns com os outros e passado algum tempo ja gostam do/a anterior. Enfim...

    ResponderEliminar
  7. Namorado de amiga é mulher!! Para mim, é uma barreira intransponível.

    ResponderEliminar
  8. "Por isso, nunca entendi como é possível, na maioria das séries, o elenco acabar por rodar todo,"

    Oh mulher......é uma série......é ficção. Para além disso, eles têm fundos limitados, o que não lhes permite arranjar tantos atores só para andarem enrolados uns com os outros. Portanto sai mais barato rodarem todos. LOL

    ResponderEliminar
  9. Acabei por me esquecer de comentar o tema principal. Para mim namorada de amigo pode ser apreciada fisicamente, mas nenhum contacto emocional.

    Se por acaso eles terminarem o namoro, então a partir daí volto a olhar para ela com o olhar de homem, de novo.

    ResponderEliminar
  10. Olá!
    Ameeei o post de hj do seu blog!
    Se puder dá uma passadinha no meu e deixa um comentário?
    Meu mundo, Meu quarto

    ResponderEliminar
  11. Anónimo22:19

    ainda hoje estive a pensar nesse assunto!
    uma amiga minha fez isso com a suposta "melhor amiga", e para além de concordar completamente contigo lembrei-me logo de 90210, gossip girl e grey's anatomy, que são séries que adoro

    ana

    ResponderEliminar
  12. Observador Atento02:28

    Por norma posso apreciar a namorada de um amigo. Lá por se estar de dieta não significa que não se possa dar uma olhadela a ementa. Da mesma forma digo que posso olhar para um homem e saber dizer se é bonito ou não (neste caso a imagem seria: Lá por ser “vegetariano (e verdadeiramente alérgico a carne)” não significa que não se possa dar uma olhadela “aos pratos de carne”).
    Passar a barreira e tentar algo com a namorada de um amigo é algo que não me passa pela cabeça. Nem nunca passou. Contudo, quando nos movemos no campo das relações humanas não existe só a dicotomia preto-branco, há várias tonalidades de cinzentos (e até outras cores mais vivas :) ). Para mim o Amor não tem cor, sexo, religião… Deixo em aberto a possibilidade de que A (o meu amigo) possa estar a namorar com B (a minha alma gémea – que tem o mesmo sentimento em relação a mim).
    Será que uma Amizade vale a negação de um verdadeiro Amor (se este for verdadeiramente correspondido)?
    Se tal acto for condenado pelos Homens, espero que no momento do juízo final talvez venha a ser absolvido pelos Deuses que decidiram pregar-me uma partida (estranho Big Brother este).

    ResponderEliminar
  13. Cuidado com os "nunca". É quando mais depressa se cai. Já vi muitos mas muitos casos de namorados das amigas a acabarem em namorados da menina do "nunca".
    :)

    ResponderEliminar
  14. Anónimo14:40

    Olá!

    De facto, quando existem princípios bem enraizados em nós, esse tipo de situações são afastadas, nem sequer nos passa pela cabeça trairmos a confiança de um amigo/a. No entanto, tal como alguém disse e bem, as relações humanas são francamente mais complexas do que isso, ñ é só preto e branco, podendo acontecer que sem darmos conta estamos envolvidos numa situação que ultrapassa tudo aquilo em que acreditamos e defendemos. Os "nuncas" e os "sempres" são muito complicados de gerir...cada pessoa é um universo...

    Beijinho

    Maria Filipe

    ResponderEliminar